Explicando a tecnologia Blockchain: Os três pilares! - Investidor Inglês | Rumo a Independência Financeira

Explicando a tecnologia Blockchain: Os três pilares!


Blockchain explicado

Quebramos a tecnologia Blockchain em três pilares para te explicar como funciona esse sistema revolucionário.

Depois de trazer aqui o que é a Blockchain e alguns exemplos, no post de hoje trago informações mais densas sobre essa tecnologia.

Assim, veremos abaixo suas três principais propriedades que a ajudou ganhar entusiastas pelo mundo. E essas propriedades são;

  • Descentralização
  • Transparência
  • Inalterável

Pilar 1: Descentralização


Antes do surgimento do Bitcoin e do BitTorrent, estávamos mais acostumados com serviços centralizados. A ideia é muito simples. Você tem uma entidade centralizada que armazena todos os dados e precisa interagir apenas com essa entidade para obter as informações necessárias.

Outro exemplo de sistema centralizado é o dos bancos. Eles armazenam todo o seu dinheiro, e a única maneira que você pode pagar a alguém é através dele.

O modelo tradicional cliente-servidor é um exemplo perfeito disso:

explicando a Blockchain
Fonte Imagem: Arquitetura Cliente-Servidor

Quando você pesquisa no Google por alguma coisa, você envia uma consulta para o servidor que, em seguida, volta para você com as informações relevantes.

Isso é o modelo cliente-servidor.

Os sistemas centralizados nos trataram bem por muitos anos. No entanto, esse sistema têm várias falhas.

Em primeiro lugar, porque eles são centralizados, todos os dados são armazenados em um único local. Isso os torna pontos de destino fáceis para possíveis hackers.

Se o sistema centralizado passasse por uma atualização de software, ele interromperia todo o sistema.

E se a entidade centralizada de alguma forma desligar por qualquer motivo?

Dessa forma, ninguém será capaz de acessar as informações que possui. E no pior cenário, e se essa entidade for corrompida e mal-intencionada?

Se isso acontecer, todos os dados que estão dentro do blockchain serão comprometidos. Então, o que acontece se nós simplesmente removermos essa entidade centralizada?

Em um sistema descentralizado, a informação não é armazenada por uma única entidade. Na verdade, todos na rede possuem as informações.

Em uma rede descentralizada, se você quiser interagir com seu amigo, pode fazê-lo diretamente sem passar por um terceiro. Essa foi a principal ideologia por trás do Bitcoin.

Você e só você está no comando do seu dinheiro. Você pode enviar seu dinheiro para quem quiser sem ter que passar por um banco.

Pilar 2: Transparência


Um dos conceitos mais interessantes e incompreendidos da tecnologia blockchain é a “transparência”. Algumas pessoas dizem que o blockchain lhe dá privacidade, enquanto outros dizem que é transparente.

Por que você acha que isso acontece?

Bem, a identidade de uma pessoa é ocultada por meio de criptografia complexa e representada apenas por seu endereço público. Portanto, se você procurar o histórico de transações de uma pessoa, não verá "Bob enviou 1 BTC".

Em vez disso, verá "1MF1bhsFLkBzzz9vpFYEmvwT2TbyCt7NZJ enviou 1 BTC".

Assim, enquanto a identidade real da pessoa é segura, você ainda verá todas as transações que foram feitas pelo endereço público delas.

Este nível de transparência nunca existiu antes dentro de um sistema financeiro.

Falando puramente do ponto de vista da criptomoeda, se você souber o endereço público de uma dessas grandes empresas, você pode simplesmente colocá-la em um explorador e analisar todas as transações em que se envolveram.

Isso as força a ser honestas, algo que elas nunca tiveram que lidar antes.



No entanto, esse não é o melhor caso de uso. Temos certeza de que a maioria dessas empresas não transacionará usando criptomoedas e, mesmo que o fizer, não fará TODAS as transações usando criptomoedas.

No entanto, e se a tecnologia blockchain fosse integrada... digamos em sua cadeia de suprimentos?

Você consegue imaginar o porquê isso pode ser muito útil para o setor financeiro certo?

Pilar 3: Inalterável


Inalterável, no contexto do blockchain, significa que uma vez que algo tenha sido inserido no blockchain, ele não pode ser alterado.

Você pode imaginar o quão valioso isso será para as instituições financeiras?

Imagine quantos casos de apropriação indevida podem ser eliminados pela raiz se as pessoas souberem que não podem “trabalhar os livros-caixa” e mexer nas contas das empresas.

A razão pela qual o blockchain obtém essa propriedade, vem da função hash criptográfica.

Em termos simples, hashing significa pegar uma string (string é um conjunto de caracteres, podendo ser letras, texto...veja mais sobre) de entrada de qualquer tamanho e distribuir uma saída de comprimento fixo.

No contexto de criptomoedas como bitcoin, as transações são tomadas como uma entrada e executadas através de um algoritmo de hash (o bitcoin usa SHA-256), que fornece uma saída de um comprimento fixo.

Assim, não importa quão grande ou pequena seja sua entrada, a saída sempre terá um comprimento fixo de 256 bits.

Isso se torna crítico quando você está lidando com uma enorme quantidade de dados e transações. Então em vez de lembrar os dados de entrada que poderiam ser enormes, basta lembrar o hash e acompanhar.

Há apenas uma propriedade em que queremos que você se concentre hoje. É o chamado "Efeito Avalanche".

O que isso significa?

Mesmo se você fizer uma pequena alteração na sua entrada, as alterações que serão refletidas no hash serão enormes. Vamos testá-lo usando o SHA-256, algoritmo usado no bitcoin:

hash Blockchain
Fonte Imagem: Blockgeeks

Notou a diferença?

Mesmo que você tenha apenas alterado a letra de maiúsculo para minúsculo, observe o quanto isso afetou o hash de saída. Agora, vamos voltar ao nosso ponto anterior, quando estávamos olhando para a arquitetura blockchain.

O que dissemos foi:

O blockchain é uma lista encadeada que contém dados e um registro de hash que aponta para seu bloco anterior, criando assim a cadeia.

Lembra, blockchain = cadeia de blocos.

E o que seria esse registro de hash?

Um registro de hash é interessante por não apenas conter o endereço do bloco anterior, ele também contém o hash dos dados dentro do bloco anterior.

Esse "pequeno" detalhe é o que torna os blockchains tão incrivelmente confiáveis ​​e originais.

Imagine isso por um segundo, um hacker ataca o bloco 3 e tenta mudar os dados. Por causa das propriedades das funções hash, uma pequena alteração nos dados alterará drasticamente o hash.

Isto significa que quaisquer pequenas alterações feitas no bloco 3, irão alterar o hash que é armazenado no bloco 2, agora que por sua vez irá alterar os dados e o hash do bloco 2, o que resultará em mudanças no bloco 1 e assim por diante .

Isso vai mudar completamente a cadeia, o que é impossível. É exatamente assim que os blockchains se tornam inalteráveis.

Quem vai usar a Blockchain?


Atualmente, o setor financeiro oferece os casos de uso mais fortes para a tecnologia. Remessas internacionais, por exemplo.

O Banco Mundial estima que mais de U$ 430 bilhões em transferências de dinheiro foram enviados em 2015.

E, no momento, há uma alta demanda por desenvolvedores de blockchain.

A blockchain potencialmente elimina o intermediário para esses tipos de transações. A computação pessoal tornou-se acessível ao público em geral com a invenção da interface gráfica do usuário (GUI), que tomou a forma de um “desktop”.

Da mesma forma, a GUI mais comum criada para o blockchain são os chamados aplicativos “wallet”, que as pessoas usam para comprar coisas com Bitcoin, e armazená-las junto com outras criptomoedas.

As transações on-line estão intimamente ligadas aos processos de verificação de identidade. É fácil imaginar que os aplicativos de carteira se transformarão nos próximos anos para incluir outros tipos de gerenciamento de identidade.


Quais novas aplicações a Blockchain pode nos trazer?


A blockchain oferece aos usuários da Internet a capacidade de criar valor e autenticar informações digitais. Quais novos aplicativos de negócios resultarão disso?

#1. contratos inteligentes


Registros distribuídos permitem a codificação de contratos simples que serão executados quando condições especificadas forem atendidas.

Ethereum é um projeto de blockchain de código aberto que foi construído especificamente para realizar essa possibilidade.

Ainda assim, em seus estágios iniciais, a Ethereum tem o potencial de alavancar a utilidade das blockchains em uma escala que realmente muda o mundo.

No atual nível de desenvolvimento da tecnologia, os contratos inteligentes podem ser programados para executar funções simples.

Por exemplo;

  • Um derivativo pode ser pago quando um instrumento financeiro atende a determinado benchmark, com o uso de tecnologia blockchain e Bitcoin, permitindo que o pagamento seja automatizado.

#2. A economia da partilha


Com empresas como Uber e Airbnb, a economia compartilhada já é um sucesso comprovado.

Atualmente, no entanto, os usuários que desejam chamar um serviço de compartilhamento de carona precisam contar com um intermediário como o Uber.

Ao permitir pagamentos ponto a ponto, o blockchain abre a porta para a interação direta entre as partes.

Um resultado verdadeiramente descentralizado da economia compartilhada

#3. Governança


Ao tornar os resultados totalmente transparentes e acessíveis ao público, a tecnologia de banco de dados distribuído pode trazer total transparência às eleições ou a qualquer outro tipo de pesquisa.

Contratos inteligentes baseados em Ethereum ajudam a automatizar o processo.

#4. Negociação de ações na bolsa de valores


O potencial de eficiência adicional na liquidação de ações faz um forte uso para blockchains na negociação de ações. Quando executadas ponto a ponto, as confirmações de negociação se tornam quase instantâneas (em vez de levar três dias para liberação).

Potencialmente, isso significa que intermediários - como auditores e custodiantes (leia-se corretoras) - são removidos do processo.



Há muito mais usos para essa revolucionária tecnologia. E acima de tudo, a área mais crítica em que o Blockchain ajuda é;

garantir a validade de uma transação registrando-a não apenas em um único registro, mas sim, em um sistema distribuído e conectado de registros.

Fonte: Lifehacker
Fonte: Blockgeeks




See ya!
Explicando a tecnologia Blockchain: Os três pilares! Explicando a tecnologia Blockchain: Os três pilares!  Reviewed by Investidor Inglês on 14:12 Rating: 5

2 comentários:

  1. Investidor Inglês,

    Seu post ficou perfeito, muito didático.
    Acredito que a blockchain veio para ficar. É uma tecnologia totalmente disruptiva, muito mais segura e transparente do que o que temos atualmente. Além dos custos, que são bem menores.

    Um bom final de semana,
    simplicidadeeharmonia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosana,

      Que bom que gostou! Eu também acredito nessa tecnologia. Pois ela pode ser usada em muitas coisas.

      Bom final de semana!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.