Fórmula Mágica Joel Greenblatt: Estudo de caso 2019! - Investidor Inglês | Rumo a Independência Financeira

Fórmula Mágica Joel Greenblatt: Estudo de caso 2019!


fórmula mágica de joel greenblatt


E cá estamos novamente para mais um estudo sobre a fórmula mágica de Joel Greenblatt. Depois de 2 testes, conforme você verá mais abaixo, este ano tentarei ser o mais fiel ao método proposto. Pois se acompanha meus estudos e já leu o livro do Joel, sabe que não segui a risca sua cartilha.

Índice



Fórmula Mágica de Joel Greenblatt: Estudo de caso


O objetivo deste texto é apurar a rentabilidade que esta suposta "fórmula mágica" pode oferecer.  Principalmente por sabermos que no mercado de ações não existem fórmulas milagrosas.

Não é mesmo?

Também espero todo ano montar uma carteira seguindo o método proposto por Joel Greenblatt para ver como se sai sua obra no Brasil. Se você lê em inglês, o livro abaixo é o mais atual dele;

The little book that still beats the market

Esse confesso não ter lido ainda. Quando sobrar um tempo e grana, quem sabe não me atualizo. Vai que o joelzinho mudou algum indicador em sua fórmula...

Carteira de Ações usando a Fórmula Mágica: 2017


Em meu primeiro teste, conforme contei aqui, usei alguns parâmetros extras em relação aos tradicionais P/L e ROE ou EV/EBIT e ROIC. Também cometi o erro de não tirar da lista as seguradoras e similares como Multiplus e Smiles, já que seus negócios se parecem com o de uma seguradora.

Neste estudo montei duas carteiras, uma com 20 ações e outra com apenas 8.

Resultado 


E não é que a carteira com 20 ações se saiu bem? Emplacou em 2017 42% de rentabilidade contra 26% para o IBOVESPA!

Abaixo os destaques positivos da carteira;
  • ESTC3      112%;
  • CVCB3     110%;
  • CARD3     100%.

Já os destaques negativos...;
  • VLID3      -23%; 
  • BEEF3      -10%.

Carteira com 8 Ações

E o resultado das 8 primeiras ações do estudo? Então, a carteira performou brutos 57% no ano! Esta carteira rendeu o dobro que o IBOVESPA em 2017. A carteira só não bateu os 60% devido as pequenas valorizações de PSSA3 (1,40%), ENBR3 (1,45%) e SMLS3 (1,27%) no ano.

Mas, convenhamos, 57% já está bem bom não?

Relembrando, as 8 ações são essas;
  • CARD3
  • PSSA3
  • ESTC3
  • ENBR3
  • VLID3
  • CVCB3
  • FIBR3
  • SMLS3

2018...


Para 2018, resolvi seguir com o estudo da seguinte forma;

  • A carteira antiga contendo 8 ações continua sem alterações.
  • Uma nova carteira é formada seguindo novos parâmetros. 

Carteira FM em 2018

estudo fórmula mágica joel greenblatt 2018
Clique na imagem para Ampliar!

Montei a carteira seguindo religiosamente este tutorial do site Fundamentus. Assim os indicadores utilizados foram apenas os EV/EBIT e ROIC. Uma explicação básica sobre eles pode ser vista aqui.

A carteira foi montada com a venda teórica das 8 ações da carteira velha num total de 130 mil.

Dessa vez, o estudo não se restringirá apenas a ações ON como foi da primeira vez.

Também não simularei aportes adicionais, juros sobre capital próprio e dividendos.

Resultado

Em 2018, ambas as carteiras fórmula mágica Joel Greenblatt perderam e feio para o IBOVESPA! Na verdade, não bateram nem no CDI!

comparativo ações fórmula mágica ibovespa

Honestamente, não bateram em ninguém. Afinal a carteira nova desvalorizou -3 e a velha -0,85% no ano. O valor teórico investido de 130 mil na carteira nova se transformou em 125.562,92 reais. Quase 5 mil a menos...

Interessante que se eu não tivesse montado a carteira nova e continuado com a velha, o valor final atingido seria de 122 mil. Ou seja, apesar da rentabilidade negativa, valeu a pena vender a carteira velha para comprar a nova pois consegui fazer isso em um momento de alta.

E com isso fechamos o ano com 3 mil a mais do que teríamos se tivesse mantido a carteira. Devido as circunstancias, nada mal até.

Terminado o estudo, como destaque positivo da carteira nova trago a UNIP6 que rendeu cerca de 140%! Sem contar que no final do ano nos bonificou com 1 ação nova para 11 possuídas.

Já a carteira velha teve como destaque a CVCB3 com seus 165% de valorização! Que beleza não? Pena que esses destaques não foram suficientes para as carteiras performarem melhor.

Agora, é pegar o valor teórico de 125 mil e montar a nova carteira.

2019...


Para o estudo deste ano, vou implementar o seguinte;

  • A carteira antiga será toda vendida.
  • Com o dinheiro da venda, uma nova carteira será formada seguindo os famosos parâmetros da fórmula EV/EBIT e ROIC.
  • Uma segunda carteira será criada a partir de compras trimestrais, até totalizar as 8 ações para fechar esta carteira, como Greenblatt fala em seu livro.  

Veja abaixo a composição da nova carteira.

Carteira 2019

carteira de ações fórmula mágica
Clique na imagem para Ampliar!

A composição da carteira acima foi definida dando mais peso as primeiras colocadas na fórmula. Gostaria de distribuir igual, mas devido aos preços não foi possível.

O valor da carteira foi montado com a imaginária venda das ações antigas totalizando R$125.562,00

Montei as duas carteira da mesma forma que em 2018. Também procurei selecionar empresas cujo negócios diários na bolsa passem dos 50 mil. Afinal, é necessário um pouco de liquidez para podermos comprar, certo?

Copiando o estudo passado, a carteira não se restringirá a ter apenas ações ON. E como é de praxe, também não simularei aportes adicionais tampouco adição de dividendos e juros sobre capital próprio. Somente atualizarei as ações se houver grupamento/desdobramento ou bonificação.

Também fiz uma rápida pesquisa para ver se alguma dessas ações tinham não-recorrentes, como aconteceu com o estudo passado. Se tiver, peço que me comunique para eu retirar do estudo. Este ano não deixarei ações deste tipo, talquei?

Abaixo, o preço teórico de compra das ações;

AçõesVlr Compra
UNIP6R$ 37,27
BAUH4R$ 19,44
TOTS3R$ 32,02
CRPG6R$ 34,95
QUAL3R$ 14,65
AGRO3R$ 16,23
PRIO3R$ 110,00
BRKM5R$ 48,33

Vamos ver se esse ano a carteira FM tem melhor sorte. E por falar em carteira, estou em dúvida de como farei com a segunda.

O que você sugere, usar o valor de R$125 mil para montagem, ou um valor menor simulando quem está começando?

Aguardo seu comentário!

Outros estudos sobre o método de Joel Greenblatt!


A seguir dois estudos sobre a fórmula mágica. Um é de Rodolfo Gunther Dias Zeidle com o título - Eficiência da fórmula mágica sobre o mercado brasileiro.

E o outro é de Leonardo Pelae Milane com o título - Teste de eficiência da fórmula mágica.


Nos testes acima a fórmula parece ter funcionado... Apesar disso, continuarei testando ela por conta própria por aqui.




Bis bald!
Fórmula Mágica Joel Greenblatt: Estudo de caso 2019! Fórmula Mágica Joel Greenblatt: Estudo de caso 2019! Reviewed by Investidor Inglês on 08:35 Rating: 5

21 comentários:

  1. bom dia,

    Eu entendo que a fórmula mágica é baseado em análise fundamentalista e em linhas gerais o nosso mercado de ações é bem mais emocional do que racional. Mesmo assim, levando-se em consideração que o Joel coloca sua estratégia como de longo prazo, então, somando-se todo o período do seu estudo o resultado ainda é bem satisfatório.

    Além disso, temos que levar em consideração que o ambiente político no Brasil nos últimos 3 anos contaminou o mercado num nível muito acima de qualquer previsão/estudo. Por essas e outras, eu não sou de seguir métodos/livros/Gurus, vou pelo meu feeling/instinto e tem dado certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia!

      Sim, por ora a fórmula mágica está se saindo vencedora. A intenção é ir acompanhando ao longo dos anos. Vamos ver.

      Você faz trades, isso?

      Excluir
    2. Eu faço um pouco de tudo, não tenho "amarras" com metodologias.Para que voce possa entender melhor, eu analiso uma parte do fundamento (lucro, divida, mercado), outra parte em relaçao a minha visão do mercado especifico no qual a emrpesa esta insierida e também procuro ser sensitivo do que as variaveis politicas (internas e externas) podem estar pesando sobre o papel, obsrvando é claro o histórico das aççoes.
      Com isso vejo aquilo que considero que esta com "desconto" para aquisição e defino as metas de venda para até 30, 60, 90, 120, 180 dias. Bateu a meta eu vendo.
      Neste exato momento estou "vendido", todos papeis que comprei em Novembro bateram suas metas e torrei tudo (ABEV3, SUZB3, MRVe3, ECOR3, CCRO3, BRFS3, GOAU4) resultando em 46.322,00 de lucro (13,22%).
      Contrariando o que muitos dizem, não ligo de deixar 300mil parado na conta, 1 semana, 2 semanas. E`o custo da oportunidade e bata um "ataque de pelanca" do mercado para eu aproveitar uma queda expressiva e entrar novamente.

      Excluir
    3. Não precisa deixar parado na conta. Bota num CDB de liquidez diária pelo menos. Ou deixa parado numa conta que rende, tipo a da nubank.

      PS.: Pelo que entendi, sua situação não é de estar vendido, e sim de estar líquido. Estar vendido é outra coisa.

      Excluir
    4. boa tarde,

      Sim, voce tem razão, o vendido nao foi no termo tecnico da palavra (venda a dercoderto) por isso coloquei entre aspas, mas foi uma escolha impropria da palavra.
      Sobre ao CDB ou "conta que rende" simplesmente não dá, pois nao estou falando de liquidez D+1 ou até D+0 (após certo horario) estou falando de custo de oportunidade de ter o dinheiro na hora exata. Vou lhe dar um exemplo;
      Sempre abro o portal XPI no primeiro horario, onde sempre a aprece e evaporam em segundos algumas oportunidades raras e hoje por exemplo peguei um CRI pagando IPCA +5,35% que sumiu em menos de 3 minutos, ou seja, tem que ter o saldo livre, não dá tempo de resgatar CDB ou transferir dinheiro para a corretora, etc....
      A coisa é tão rápida que apareceu um LCI pagando IPCA +6,05% mas só tinham 30 titulos disponivieis, coloquei a ordem de 20 e só no tempo do sistema atualizar ja retornou o erro de que nao estava mais dispoivel.
      Volto a dizer, é o custo da oportunidade.

      Excluir
  2. Fala Inglês! Que legal, vamos acompanhar.

    Eu penso que o que a carteira precisa é que nosso IBOV não fosse dominada por grandes empresas de commoditties, como a PETR e VALE. Se essas duas valorizarem-se bem no ano, a carteira vai perder para o IBOV. Não temos tanta liquidez assim, o dinheiro vai acabar fluindo para elas.

    Não sei se entendi bem: vc não vai computar os JCP e dividendos? No IBOV eles estão incluídos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala André!

      E olha que já foi maior a participação dessas duas empresas no índice.

      E sobre os dividendos jcps, é isso. Não os incluirei. Isso aconteceu nos outros estudos também. Sei que o estudo fica incompleto e injusto, mas, tomaria muito meu tempo.

      Seria interessante adiciona-los para vermos como foi o resultado real dos estudos anteriores. Quem sabe um dia inspirado eu não faça isso hehe

      Abraço!

      Excluir
    2. Inglês,

      Não sou nenhum expert, mas acredito que boa parte dos gráficos de cotações de sites de investimentos são ajustados para Div, JSCP, Desdobramentos e etc. Ex: https://br.investing.com/equities/magaz-luiza-on-nm essa cotação da Magazine Luiza não esteve em mais de R$ 600,00 e depois foi desdobrada? nesse gráfico mostra o histórico da cotação sem "a queda" no preço pós desdobramento, implicando que seja um gráfico com cotações ajustadas.

      Nesse caso não seria somente pegar o valor dessas cotações ajustadas para fazer o cálculo da rentabilidade considerando os proventos?

      Excluir
    3. Mota,

      É verdade que os gráficos são ajustados nas situações em que menciona. O problema não é esse. A questão é adicionar esses dividendos ou juros sobre capital na carteira. Afinal, é dinheiro que entrou e devemos reinvesti-lo.

      Porém não tenho tempo para mais esse trabalho. Talvez eu faça como o Animal sugeriu abaixo.

      Excluir
    4. Uma alternativa é pegar o valor de compra pelo gráfico no dia que você for fazer o fechamento. Daí já fica um pouco mais corrigido.

      Excluir
  3. Inglês, como a carteira é pequena, daria pra computar tranquilamente o JSCP e dividendos. Para facilitar, suponha que o dinheiro foi adicionado na conta corrente, e não reinvestido em mais ações (porque aí daria trabalho mesmo)

    Mas é tranquilo, vários sites, como ADVFN compilam os dividendos do ano, é só multiplicar pela qtd de ações teóricas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser Animal. É uma ideia mesmo computar no fechamento todo o dinheiro recebido e somar com a carteira.

      Acredito que farei isso. Valeu pela ideia!

      Outra, sobre a carteira que montarei comprando de 3 em 3 meses, o que sugere, usar o montante de 125 mil ou montar com muito menos simulando quem está começando?

      Excluir
    2. LEgal,InglÊs! Aí vc diminui um pouco a desvantagem da carteira mágica na comparação. Uma vez que vc fechará ela em um ano, o efeito composto não ficará tão determinante.

      Excluir
  4. Você me lembra eu no passado.

    Fiz inúmeros testes, de vários e vários métodos.

    Todos davam bons resultados (compras mensais, fórmula mágica, AT etc). Aguentei a crise de 2008, mas em 2012 parei de aportar dinheiro novo e não segui nada. Voltei a aportar dinheiro novo só em 2017. Meu psicológico não aguentou muito (aguentou para o dinheiro que estava lá, mas não para dinheiro novo). Além disso, eu pensava assim: "se RF está me pagando 8% acima da inflação sem risco, pq q vou colocar dinheiro novo nessa merda?".

    É foda.

    Sugiro separar um pouco de dinheiro real pra fazer esses testes. O vamos ver é muito diferente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, obrigado pela sugestão. Já pensei em colocar dinheiro real. Vou refletir novamente sobre isso.

      Excluir
  5. Isso que o Anon falou é vdd. nossa RF sempre pagando bons juros, pra que esquentar a cabeça. Prefiro procurar bons CDBs do que ficar adivinhando o mercado. Tb gosto do mercado de FIIs, mais fácil de acompanhar e com boa rentabilidade. Lógico que não dá pra desprezar boas ações, mas para essa classe de ativos separo uma parte bem pequena do patrimônio.

    abs e bons investimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kspov,

      Concordo sobre nossa renda fixa. Mas, veja que hoje em dia já não é tão fácil conseguir boas taxas. 8% acima da inflação como o anônimo falou hoje não se encontra mais.

      E também, a fórmula mágica não é "adivinhar mercado". Ela simplesmente traz empresas com dois indicadores bons. Ai precisamos estudar para entender se só eles são necessários. Ou, encarar a fórmula rs

      Abraço!

      Excluir
  6. Inglês, comprar de 3 em 3 meses, e depois ir vendendo quando a ação completar 1 ano na carteira, é exatamente o que o Joel fala no seu livro. Tenta focar então no estudo desse última carteira.

    Estou fazendo isso, inclusive já comprei 3 ações para minha carteira, as 3 primeiras de 12 que pretendo ter, UNIP6, QUAL3 e CRPG5.

    No blog Analisando Ações o nosso colega lá avisa quais ações têm não recorrentes, dá uma olhada.

    Abração e fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Diário,

      Vou tentar seguir esse mantra. Vamos ver. E valeu pela recomendação, vou verificar.

      Abração man!

      Excluir
  7. gostei do seu site, salvei nos meus favoritos! Jogo do Bicho

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.