Se comunicando na Europa - Inglês basta? - Investidor Inglês | Rumo a Independência Financeira

Se comunicando na Europa - Inglês basta?


Depois de contar meu roteiro de 10 dias na Europa e a utilização do finado Leopay, finado para nós residentes no Brasil, hoje conto para você como foi a comunicação no velho mundo. Como foi minha primeira vez fora do Brasil, eu estava digamos que preocupado com essa questão.

Principalmente por estar um certo tempo sem estudar idiomas.

Interessante que montei esse blog com a premissa de também mostrar meus estudos de inglês. Até para não ficar somente em finanças. Cheguei num ponto até de estudar alemão em paralelo... Acabou não dando muito certo.

comunicando na europa
Quem sabe eu volte a estudar Inglês e Alemão novamente hehe

E como, principalmente no último post sobre a viagem, falei sobre alguns bate papos com nativos, vou contar como foi essa experiência. Vamos lá!

Se comunicando na Europa - França!


Como a viagem foi mais ou menos definida em dezembro de 2017, logo corri colocar os estudos de inglês em dia. Resumindo, montei uma playlist com as lições que já havia estudado e de vez em quando, utilizava uma técnica que consiste em escrever o que se está ouvindo.

Praticamente foi essa minha preparação para a viagem. Pensei em fazer algumas aulas no site italki, site onde você paga para ter aulas via skype, depois falo mais sobre ele.

Porém, ficou só no pensamento fazer essas aulas...

Em paralelo, pesquisava se somente o inglês seria suficiente para me virar na França e na Europa, em geral. Conclui que sim mas tinha um porém. A abordagem somente em inglês não é muito bem vista pelos franceses. Logo, é interessante usar as formalidades em francês para depois usar o inglês.

Vi que muitos disseram que o tratamento é totalmente outro ao se iniciar a conversa no idioma deles. Não cheguei a testar essa teoria pois sempre começava as conversas com um Bonjour, logo não posso afirma-la.

Entretanto, digo que sempre fui muito bem atendido ao seguir essa dica.

Com isso, além dos estudos de inglês, também estudei algumas palavrinhas em francês como o bonjour ali de cima, bonsour que é boa noite, merci que é obrigado e mais algumas outras.

Pude colocar em prática os estudos logo no avião já que fui pela Air France. Assim, o Investidor Inglês falou alguns merci para as aeromoças. E era bem legal de ver o sorriso delas por estar usando seu idioma.

Igreja Sacre-Cour
Primeiro passeio em Paris e já tivemos uma aula de segurança por uma local em frente a essa igreja...

E foi assim que me comuniquei na França. Iniciando e terminando as conversas em francês. Com isso, coloquei meu inglês a prova, que diga-se de passagem é bem mais ou menos, mas serviu para as diversas situações que passei por lá.

E olha que não foram poucas. Abaixo algumas coisas;

  • Comprar chip de telefonia para ter internet.
  • Conversar com o dono do apartamento pois fui de Airbnb. Logo precisei ver questões de horários e outras coisas...
  • Lembro de ter ido a uma farmácia comprar remédio para a sra Inglês. 
  • Procurar um lugar para imprimir os ingressos do Louvre pois fiquei na dúvida se aceitariam pelo celular. 
  • Entre outros...

Essa de imprimir foi um desafio. Fui quase de porta em porta perguntar se alguém poderia imprimir para mim.

Foi tenso até conseguir. 😅

Mas no fim tudo deu certo. Já na Itália...

Inglês na Itália


Como a França foi meu primeiro destino, cometi o erro de dedicar minha atenção a este lugar deixando Itália e Holanda em segundo plano. E na Itália isso me fez sofrer um pouco...

Chegando no aeroporto de Malpensa, primeiro me senti perdido nesse aeroporto. Segundo, que poucos funcionários, pelo menos os que abordei, falavam inglês.

Alguns já davam a letra que não iriam ajudar por não saber nada de inglês. Outros até tentavam, e perguntavam repetidamente;

Capisce?

Em boa parte das vezes eu não entendia nada...

Ai chegamos a compra das passagens de trem que contei lá no outro post. Para terem ideia, o atendente me fez tirar foto dos itinerários dos trens já que a conversa não fluía.

E terceiro que a estratégia usada na França não colou na Itália. Tentar iniciar e terminar as conversas em italiano não fazia o mesmo efeito que em Paris. Acredito que isso é devido a formalidade dos franceses.

Acho.

Porém, as palavras que aprendi em italiano me ajudaram no dia em que sai com a camisa de um time local. Sem contar os gestos. Boa parte da conversa que tive com os torcedores e até com o dono da banca foi em gestos.

Porém o dono da banca falou em inglês comigo quando disse não falar italiano.

Na Itália também passei por situações como pedir para verificar o chuveiro, farmácia novamente... Em ambas precisei usar gestos para ajudar nos pedidos.

No fim, tirando a pizza de peperoni, que na Itália não tem NADA a ver com a que comemos por aqui, tudo se saiu bem.

peperoni na Italia é pimentão!
Essa ai é de quatro queijos!  Deliciosa... 

E na Holanda?


Bom, o idioma holandês se parece muito com o alemão. Com isso, após algumas tentativas de pronunciar certas palavras, abandonei a estratégia de usar idioma local para iniciar terminar conversas.

Apenas em uma loja falei bom dia em holandês para um senhor. Ele entendeu e retribuiu. Depois puxou conversa em inglês! Curioso que sua aparência me lembrava muitos os fãs de heavy metal. Sem contar muitos dos itens da sua loja. Dai perguntei a ele se gostava do gênero musical e ele disse;

Não, prefiro coisas mais leves...

Então tá! Rimos um pouco e depois fui ver algumas camisetas por lá.

Engraçado que pensei que ele estava me zoando e tal. Ai perguntei do Metallica, banda que gosto muito e ele falou que não gostava.

É, realmente ele prefere músicas mais leves...

se comunicando na Europa
Cara, como assim?

Acredito que os holandeses sabem da dificuldade do seu idioma, com isso talvez seja raro um não falar inglês. Assim, minha estadia em Amsterdam foi bem tranquila. Não lembro de ter passado problemas com comunicação.

Ah! E bom dia em holandês é muito parecido com Guten Morgem *bom dia em alemão

Conclusão


Se você tem um inglês intermediário, conseguirá se virar na Europa sem grandes sustos. Vai ter um stress em algo, vai, mas nada de outro mundo.

Agora se quer enriquecer as conversas, aprenda um pouquinho do idioma local. Mesmo que aprenda poucas palavras, verá que seus bate-papos ficarão bem mais legais.


igreja em Bergamo
Achei uma foto de Bergamo! Olha essa igreja...









See ya!

Se comunicando na Europa - Inglês basta? Se comunicando na Europa - Inglês basta? Reviewed by Investidor Inglês on 00:00 Rating: 5

10 comentários:

  1. Olá II,

    Muito cara. Dizem que praticamente todo mundo da Holanda fala inglês.

    Concordo com você que é bom falar o idioma local. A viagem que fiz para o Santiago - Chile. Eu falei espanhol lá. Engraçado que o pessoal de lá fala que não entende o português que eu acho muito parecido com o espanhol.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cowboy,

      Acho difícil algum holandês não falar viu.

      Eu também acho parecido. Achava também o italiano. Mas não é não rs.


      Abraço!

      Excluir
  2. Fala Inglês!

    Concordo que tentar arranhar algo na língua local pode ser bom no relacionamento. Mas confesso que nunca tive essa preocupação. Aprendi alemão quando morava na Alemanha por necessidade pura e arranho meu portunhol na América Latina. Agora, no resto do mundo, sempre falei em inglês e nunca tive muita dificuldade não rsrs.

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala André!

      E alemão é difícil não? Quero aprender esse treco ai. Em breve volto a estuda-lo. Realmente, falando inglês você se vira em quase todos os lugares. Mas ao tentar comunicação com o idioma local, poxa, as conversas parecem ficar mais divertidas rsrs.

      Abração!

      Excluir
  3. Muito legal seus relatos!
    Nunca fui para Europa, talvez em 2020, mas já vou ficar ligado em aperfeiçoar meu inglês. Por enquanto só na América Latina mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Filipe! e valeu pela visita.

      Cara, é uma viagem muito legal de fazer. O esforço que os caras fazem para manter suas histórias é demais. Vale muito a pena.

      Quanto ao inglês, é bom aperfeiçoar para ficar tranquilo por lá.

      Excluir
  4. Na Europa, na grande maioria dos países falando bem inglês, já nos conseguimos comunicar se forma razoável.

    Principalmente nas pessoas mais novas, em todas as escolas tem uns 7 anos de inglês de um nível muito mais difícil do que o Brasil, então é normal as pessoas mais novas saberem falar o mínimo de inglês, em Portugal era assim.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Dil,

      Legal isso, já que inglês é a língua universal.

      Abraço!

      Excluir
  5. Realmente na França eles prezam pela formalidade, então dizer um Bonjour ou Bonsoir no inicio de conversa muda tudo sim!! Em Paris muitos restaurantes os garçons são conhecidos por serem mal-educados (salvo exceções!), principalmente em lugares turisticos, a dica é ir nos restaurantes em bairros fora da agitação, é onde os locais costumam ir..

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vida Sagaz,

      Como não entrei em nenhum restaurante por lá, não posso opinar. Mas quanto ao Bonjour e Bonsour corroboro com você!

      Abraço!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.