IVVB11: Vale a pena Investir mês a mês em Apple, Google, Microsoft? - Investidor Inglês | Rumo a Independência Financeira

IVVB11: Vale a pena Investir mês a mês em Apple, Google, Microsoft?


Será que vale a pena comprar mês a mês o ETF IVVB11?


Um jeito de se beneficiar das disparadas do dólar, é investir em ativos atrelados a ele.

Podemos investir em empresas listadas na bolsa de valores como a SUZB3. Como também podemos ir direto na fonte investindo em empresas americanas.

E uma das formas de ir direto a fonte é através dos ETFs IVVB11 e SPXI11.

Com eles, você dispensa a abertura de uma conta em corretora americana, pois pode compra-los diretamente de nossa bolsa, a B3.

Assim, neste post vou apresentar um estudo de compras mensais sobre o ETF IVVB11.

O objetivo deste é verificar como se saiu quem comprou este ETF mensalmente. Vamos ver quanto capital acumulou e se valeu a pena até aqui ter comprado.

Mas antes, você sabe o que é um ETF?

ETF - Exchange-Traded Fund

 teria ao...
Os Exchange-Traded Funds nada mais são do que Fundos de Investimento Passivo. Este tipo de investimento busca seguir um índice ao invés de ter sua própria estratégia.

Logo, temos ETFs que seguem índices de ações, commodities, juros ou uma combinação deles.

No Brasil, temos por enquanto apenas ETFs seguindo índices de ações como BOVA11 e PIBB11, no qual acompanham respectivamente o IBOVESPA e o IBr-X50.

Também temos o SMAL11, índice que segue as Small Caps.

E o sujeito deste post, o IVVB11.

Nesta página da B3, você confere todos os ETFs disponíveis em nosso mercado.

Diferença entre um ETF e um Fundo de Investimento


Há muitas diferença entre esses investimentos. A primeira é que os ETFs você compra diretamente do Home Broker, enquanto os fundos você os contrata por intermédio das corretoras ou bancos.

Segundo que você não precisa de um Valor X para investir em um ETF assim como em fundos.
Exemplo;

  • Em alguns fundos de investimento é possível a entrada de valores à partir de R$ 1000,00.

  • Já em um ETF, podemos comprar uma única cota por R$ 115,00 no mercado fracionário usando como o código IVVB11F.  

E para não me estender por aqui, aponto o famigerado come cotas. Os ETFs não sofrem com eles diferentemente de um fundo de investimento.

Caso não saiba, come cotas é;

Um apelido curioso dado à antecipação do recolhimento do Imposto de Renda em alguns fundos de investimentos. Esse sistema é chamado assim por deduzir semestralmente cotas dos fundos, em alíquotas de 20% a 15%.

Saiba mais sobre os come cotas aqui.

Entretanto, nem tudo é festa!  Os ETFs pagam 15% de imposto caso haja ganho de capital.

Nesse tipo de investimento não existe a isenção de vendas até 20 mil reais como nas ações.

O que é o IVVB11?


o que é o ivvb11


Conforme nosso infográfico, o IVVB11 é um ETF que busca seguir os retornos do índice S&P 500.

O gestor deste fundo é a Black Rock, que cobra uma taxa de administração de 0,24% ao ano.

Este ETF é negociado na B3 em lotes padrão de 10 cotas.

E mais uma vez, o IVVB11 não paga dividendos

Confira outras informações sobre este ETF na página oficial do fundo.



Depois deste breve resumo, vamos ver meu estudo de compras mensais.

Será que vale a pena comprar mês a mês o IVVB11?


IVVB11: Análise com compras mensais


Após montar um comparativo entre BOVA11 x PIBB11, resolvi matar a minha curiosidade e acredito que a de alguns em saber como se saiu uma compra mensal do IVVB11.

Período


A simulação é de 4 anos devido ao inicio da operação do fundo em 2014. Logo, temos 48 compras sendo a última em 11/06/2018.

Por ora, a intenção deste post é saber apenas o montante acumulado. Portanto, não fiz cálculos de rentabilidade.

Se quiser ajudar, sinta-se a vontade! 😅😅😅

Parâmetros


Confira como simulei a compra do ivvb;

  • Compras mensais todo dia 10 ou no próximo dia útil.

  • Aportes iniciando em R$500,00.

  • Ajustei os aportes simulando uma inflação de 5% ao ano devido a tornar o estudo mais "real".

  • Simulei uma corretagem fixa de R$10,00 e custódia mensal de R$10,80.

  • As compras são a soma de aporte + sobras do mês anterior - corretagem - custódia.

  • As cotações foram retirados do site Infomoney e da fórmula googlefinance, como pode ser vista no post - Google Planilhas: Monitoramento de Ações, FIIs e mais!


Capital Acumulado em 4 anos


IVVB11 gráfico
Belo gráfico não?


Caso fosse possível comprar o IVVB11 desde seu lançamento, pois no inicio só investidor qualificado tinha acesso a ele, o investidor que comprasse 500 reais todo santo mês teria na data de 11/06/2018 a bagatela de;

R$39.606,93.

Lembrando que os aportes foram corrigidos em 5% ao ano.

No período do estudo acumulou 363 cotas tendo aportado a quantia de R$27.007,27. Hmm, nada mal hein?

Nesta simulação seu custo ficou em R$1.019,20 somando corretagem e custódia.

Caso o investidor conseguisse se livrar da custódia, coisa que hoje é possível, seu custo cairia para R$490,00, o total de cotas subiria para 370. e seu investimento subiria para;

R$40.370,70.

Na data de hoje (13/08/2018), caso o investidor não realizasse mais aportes desde então, teria o total de;

R$42.267,72.

Olha o efeito dólar ai...


IVVB11 Vale a pena?


Volto a repetir o que disse nos outros estudos, 4 anos é um período curto para se avaliar um ativo.

Logo, isso passa longe de ser a intenção deste. Como dito no inicio do post, essa análise é para matar minha curiosidade em saber como se saiu um investimento tendo como base o dólar.

Também reforço que não é intenção deste post comparar o ativo em si com o dólar. A ideia é simplesmente saber quanto de capital você acumularia investindo no IVVB11.

Caso queira ver um comparativo entre o IVVB11 e o dólar, IVVB11 e IBOVESPA, veja este post.

Voltando ao estudo, vimos acima que um investidor que aportou mês a mês num total de 27 mil reais viu seu investimento chegar a quase 40 mil reais.

E isso em um período de 4 anos, vale frisar.

Caso resolvesse vender, o investidor pagaria 15% de imposto sobre o lucro. Seria preciso encontrar o preço médio de compra para calcular o imposto.

Não fiz o cálculo, logo chuto que o investidor ficaria com uns 37 mil.

Nada mal ãh?

Entretanto, como estamos rumo a independência financeira, vender agora não é o objetivo, não é mesmo?

Bom, no período analisado, o investimento em IVVB11 valeu a pena sim. Afinal, investir 27 mil e obter 37 mil em renda variável sem esforço algum, acho excelente.

Lembre-se que com os ETFs você fica livre de analises, nada de ficar procurando a nova MGLU3, podendo usufruir do tempo que perdia baixando releases, balanços e vendo webcasts, com coisas do seu agrado.

Bônus: Planilha de Estudo


Clique aqui para baixar a planilha utilizada aqui. Nela você encontrará como cheguei aos valores deste estudo... Caso queira simular outros valores, deixei um comentário indicando os lugares para tal.

Também deixei uma simulação de compra mensal envolvendo BOVA e IVVB ou PIBB e IVVB. 



E ai, o que achou do análise?  Dúvidas, críticas, sugestões... Deixe seu comentário!




See ya!

IVVB11: Vale a pena Investir mês a mês em Apple, Google, Microsoft? IVVB11: Vale a pena Investir mês a mês em Apple, Google, Microsoft? Reviewed by Investidor Inglês on 00:00 Rating: 5

22 comentários:

  1. Tentei baixar a planilha mas deu "not found".

    ResponderExcluir
  2. Fála II,
    Muito interessante esta simulação! Ainda assim, é ter a opção de ter rendimentos melhores que os investimentos mais comuns oferecidos e conhecidos por aí (poupança e CDBs,...).
    Ainda assim, eu particularmente, não gosto de ETFs, por eu não ter perfil. Acho que temos condições, aos poucos, de formar nossa própria carteira.
    Mas para quem não quer ter o trabalho de formar carteira e estudar, os ETFs podem ser sim uma opção interessante, desde que escolhido com critério.
    Um abraço,
    @-@ Ativos for Change

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Ativos,

      Valeu! Entendo você. Mas estou mudando de ideia quanto a alguns ETFs. Esse do post me chama bastante atenção. Também tenho planos para Bova ou Pibb. Acredito ser interessante usa-los para ganho de capital. Estou estudando essa estratégia.

      Abraço!

      Excluir
  3. Show de estudo mais uma vez. Obrigado II. Abcs

    ResponderExcluir
  4. Também não gosto de ETF brasileiro. Melhor investir direto em ativos fora.

    Meus ETF no exterior não estão acompanhando as ações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante. O IVVB11 apresentou um resultado legal comparado a BOVA, PIBB... Lógico que rentabilidade passada não é rentabilidade futura, mas para quem não quer investir fora, o IVVB11 é uma opção.

      Vou acompanhar pra ver

      Excluir
  5. II,

    Gostei do seu post, muito interessante.

    Boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Acabei de terminar de escrever um artigo sobre essa alta do dólar e devo postar ainda até o final dessa semana, mas basicamente me pergunto se essa alta do dólar e baixa da bolsa é uma oportunidade ou um sinal de alerta para oq ainda está por vir?

    Sr. IF365

    Blog do Sr.IF365 | Acompanhe meus últimos 365 dias antes da IF e Aposentadoria Antecipada
    www.srif365.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejo alguns encararem como um sinal de alerta. Eu não sei avaliar, logo, sigo minha estratégia.

      Excluir
  7. O IVVB11 é a forma mais fácil de "dolarizar" seu patrimônio, hoje. Melhor que ele só investindo diretamente lá fora.

    ResponderExcluir
  8. Olá II,

    É até covardia comparar com Ibov neste período.

    Até 2007, o ibov matou a pão, mas como todo voo de galinha o Brasil tem estado estagnado há 10 anos.

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá I.Internacional,

      É sim, muito covardia rs. Mas não resisti em comparar

      Abraço!

      Excluir
  9. Inglês, você investe em ETF's? Não seria mais interessante montar a própria carteira sem ETF nenhum? Porque dentro dessas 500 maiores empresas, podem ter tanto empresas boas, quanto empresas ruins. Essas ruins podem puxar o resultado para baixo, mais do que seria se você mesmo escolhesse as empresas americanas que quer investir, não acha?

    Outra pergunta: tem uma parte do texto que você diz "Um jeito de se beneficiar das disparadas do dólar é investir em ativos atrelados a ele, como as empresas de celulose Fibria, Suzano." Interessante, nunca tinha pensando nisso. Mas a hora de entrar nessas empresas é quando o dólar aumenta, como agora, ou quando está na baixa, para poder tirar mais proveito quando ele aumentar? (ou a lógica não é essa?).

    Depois você continua: "Também podemos ir direto na fonte investindo em empresas americanas." Mas o ideal não seria investir direto nas empresas americanas quando o dólar estivesse baixo? Comprar as empresas das bolsas americanas com o dólar alto vai terminar desvalorizando o dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calvin,

      Não invisto não. Pelo menos por enquanto. Sinceramente, estudo a opção de investir neles. O mercado americano é muito grande... Por ora tenho umas 5 ações lá e pretendo que continue assim.

      O certo é entrar quando o dólar está baixo. Agora não é uma boa hora não para entrar nessas empresas (Fibria, Suzano).

      Já quanto a investir diretamente nos EUA, sim, o ideal é quando o dólar está baixo. Mas, aqui você pode alocar pequenas quantias enquanto ele está alto, e quando baixar, aportar valores mais altos.

      É uma ideia.

      Excluir
  10. Poderia fazer um estudo sobre o SPXI11 ? Desde já, agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joobert,

      Está nos planos fazer. Vou pesquisar mais sobre esse ETF.

      Valeu!

      Excluir
  11. Prezado II, parabéns pelo post!

    Eu gosto desse tipo de estudo, pois mostra que a disciplina de aportes regulares e a paciência para esperar o resultado são armas poderosíssimas para construção de Riqueza.

    É fato também que o S&P 500 está num Bull Market desde 2009, daí vários estudos de compras periódicas nessa janela serão muito vencedores.

    Por fim, o que não gosto dos ETFs no Brasil é que não tem nenhuma isenção de IR para ganho de capital. É uma desvantagem importante.

    Apesar da barreira inicial (que é muito psicológica), abrir uma conta no exterior está bem mais fácil do que antes, inclusive com valores pequenos, e o envio de recursos está muito acessível.
    Isso deixou o processo de comprar os ETFs no exterior bem mais fácil, e nesses é possível ter a isenção de IR no ganho de capital.
    Por esses motivos nunca comprei ETF no Brasil, só no exterior.

    Um abraço e vamos em frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá MD, obrigado!

      É verdade, o índice S&P 500 está numa ascendente faz um tempo já e isso corrobora com o resultado. Sobre os ETFs no Brasil, a questão do IR é um contra que quem vai investir precisa estar ciente. Quando for se desfazer, dependendo do preço médio tomara paulada do leão rs

      Sobre o exterior, tenho um estudo que em breve eu publico. Aguarde!

      Abraço e vamo que vamo!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.