Um exemplo de Carteira de Investimentos - Melhor, 2! - Investidor Inglês | Rumo a Independência Financeira

Um exemplo de Carteira de Investimentos - Melhor, 2!


Enfim, o post que estava devendo... Um exemplo de Carteira de Investimentos. Neste post você verá;


Aviso desde já que este post não indicará ativo algum a compra. Dado o recado, vamos lá!


Montando uma Carteira de Investimentos 


exemplo de carteira de investimentos

Depois de colocado em prática dicas para economizar dinheiro, é natural que a pessoa comece a ver "sobras" em seu orçamento. E para nós brasileiros, o caminho comum para essa sobra é a poupança.

Porém, é sabido que a poupança tem um dos piores, se não o pior, rendimento frente a outras opções.

Logo, vamos ver algumas opções para montar uma carteira de investimentos. Antes, vejamos os pré-requisitos.


1. Reserva de Emergência


Sim, a cansativa reserva, colchão ou seja lá qual nome dão para ela. A reserva de emergência deve ser seu primeiro investimento. Lembre-se, imprevistos podem ocorrer e você não quer liquidar um recém investimento.

Pois isso pode lhe causar prejuízo. Prejuízo por poder sacar menos do que colocou. Ou até mesmo ter que recorrer a algum empréstimo devido o investimento só ser possível de resgate em seu vencimento.

Pense nisso.



2. Abrir Conta em Corretora


Esqueça os investimentos oferecidos pelos bancos. Salve exceções, muitos investimentos sugeridos pelo gerente do banco são para aliviar a pele dele. E pior, alguns desses investimentos mal batem a poupança!

Logo, abrir conta em uma corretora te dará varias opções para enfim ver seu dinheiro render mais. E esta tarefa hoje em dia é muito fácil. Seu maior trabalho será digitalizar seus documentos para anexar junto ao processo.

Isso se a corretora não disponibilizar um aplicativo ou mesmo página que use a câmera do seu celular para digitaliza-los.

Para não perder tempo, veja este post mostrando uma tabela atualizada sobre as corretoras mais conhecidas do nosso mercado.

Passado os pré-requisitos, vamos a carteira de investimentos...

Meu exemplo de Carteira de Investimentos.


Dê inicio, eu começaria os aportes em uma das opções abaixo caso meus aportes fossem de apenas 100 reais mensais;

  • CDBs a no mínimo 100% do CDI;
  • ou Tesouro Selic.

Usaria uma das opções acima para formar uma reserva de oportunidade, vamos chamar assim. Buscaria atingir o mais rápido o número de 2 a 5 mil reais para partir para novos horizontes...

Com a quantia acima, ficaria na espera de um Tesouro IPCA pagando 6% para cima. Também olharia com carinho pré-fixados e CDBs acima dos 100% do CDI.

Se os aportes partirem de 200 reais em diante, já incluiria renda variável (RV). Acredito que o mais indicado seria aportar em um fundo imobiliário, pois variam menos e assim não assustam tanto os iniciantes em RV. 

Pensei em indicar alguma ação. Na verdade um ETF, tipo BOVA11 ou PIBB1, assim a pessoa já vai se acostumando com o sobe e desce da renda variável sem demandar tempo de estudo para investimento e etc...

Mas, devido a alguns estudos que fiz, você pode consulta-los na parte superior da página, resolvi não incluí-los.

Claro, as opções acima funcionam caso você tenha estômago para ver seu patrimônio cair 30, 40% ou mais. E isso engloba alguns ativos da renda fixa também como Tesouro Pré-Fixado e Tesouro IPCA. Ambos podem apresentar rentabilidade negativa caso sacados antes do prazo.

Se você não quiser correr esse risco, terá que se contentar com CDBs a um percentual maior do CDI, CDBs Pré-fixados e etc...

Lembrando que estas opções não possuem liquidez, ou seja, ao investir nelas, muitas vezes o resgate só fica disponível no vencimento.

Bom, usando meu post sobre Fundos Imobiliários de Tijolos (FII), vemos que é interessante pegar um fundo multi-imóvel e multi-inquilino. Assim a carteira ficaria;

  • CDBs ou Tesouro Selic formando a reserva de oportunidade;
  • Fundo Imobiliário de Tijolo;
  • Tesouro IPCA, CDBs ou Pré-Fixados caso taxa seja atraente. (uí)

Buscaria aportar meio a meio nos dois primeiros itens. Com o montante formado, analisaria as taxas oferecidas e caso atinjam o objetivo, aplico usando a tal reserva.


Bônus: 2 exemplo de Carteira de Investimentos


Esta carteira não é de minha autoria e sim do André do Viagem Lenta. Passados os pré-requisitos, o André sugere aportar meio a meio em;

  • Um título do Tesouro;
  • Um Fundo Imobiliário de Tijolo.

Para entender as sugestões, acesse o post - O Nascimento de uma Carteira de Investimentos.

Lá você encontrará os porquês e uma planilha disponível para download para monitorar sua carteira.

Conclusão


A carteira de investimentos que sugiro é bem simples, você aporta em investimentos líquidos até possuir montante para fixar em investimentos mais rentáveis.

Com aportes acima de 200 temers, aportaria meio a meio em CDBs com liquidez diária e um fundo imobiliário de tijolo.

E vai fazendo, over and over...

Diferente do André, opto por investir no Tesouro IPCA somente no caso das taxas atingirem 6% ou mais. Como nosso país vai levar um bom tempo para ter a casa em ordem, não é difícil esse título atingir tal condição.

Enquanto vai acumulando em sua reserva de oportunidades, você vai estudando sobre Debentures, como funciona o mercado de Ações, FIIs...


O que achou da carteira, ruim, interessante, meia-boca?  






Bis Bald!

Um exemplo de Carteira de Investimentos - Melhor, 2! Um exemplo de Carteira de Investimentos - Melhor, 2! Reviewed by Investidor Inglês on 11:30 Rating: 5

12 comentários:

  1. Olá Inglês!
    Essa carteira é uma boa dica para quem está começando. Ir sentindo o terreno e experimentando os diversos tipos de investimento.
    Além dos FIIs as boas pagadoras de dividendos também oscilam pouco e podem ser uma boa opção para entrar na RV.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Janota!

      É verdade, as ações pagadoras de dividendos sofrem menos que as outras. Vide setor elétrico. Porém acho os fiis mais resilientes. E também mais tranquilo de escolher do que ações.

      Abraço!

      Excluir
  2. Olá, Inglês.

    Essa é uma boa sugestão para quem está iniciando no mundo dos investimentos. Mas como você mesmo deixou bastante claro, é importante formar antes de tudo um colchão de segurança. Um montante que irá regular o fluxo de caixa mês a mês, assim, não será preciso retirar dos investimentos.

    Então, antes de investir é importante deixar a casa arrumada.

    Acho fundamental montar uma carteira de acordo com a idade e experiência do investidor. As proporções entre aplicações em Renda Variável e Renda Fixa devem mudar com o tempo.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá G65!

      Bem lembrado o ponto da idade. Exemplo, Ações. Em nosso país não faz sentido investir em ações para o longo prazo com 60 anos. Jovem já é de se pensar, imagina com 60?

      Realmente é fundamental que a carteira bata com idade e experiência.

      Abraço!

      Excluir
  3. Olá II!

    Sua sugestão é muito boa. Eu acho que, sem dúvida, a RV deve fazer parte de uma carteira de investimentos. Daqui a seis meses eu pretendo incluir um ETF na carteira de milha filha. Farei um post mostrando como ela reagiu também ao sobe e desce da carteira inicial rsrs (a intenção do título público longo foi mais com que ela aprendesse sobre a marcação à mercado do que buscar rentabilidade, embora que, a mais de 5,5% a ano + IPCA não estava tão ruim assim).

    Reforço o que o G65 comentou acima sobre a importância do colchão de segurança: muitas pessoas se aventuram pela RV sem possui-lo. E, no final das contas, toda decisão deve ser baseada em perfis. Existem algumas premissas básicas a serem seguidas, mas respostas conclusivas, entramos na seara do "depende de seu perfil".

    Obrigado pelas citações!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André!

      Entendi sua indicação sobre Tesouro IPCA. Eu mesmo aprendi assim. No começo comprei mês a mês. Depois de um tempo vi que é melhor tentar fixar uma taxa.

      E é verdade, 5,5 não é ruim não. Eu quando comprava mês a mês cheguei a pegar 4, 4,5...

      Verdade, não tem resposta certa. Tudo depende rsrs

      Opa! Abraço!

      Excluir
  4. Olá Investidor Inglês,

    Acho que o caminho inicial é por aí.

    Estou escrevendo 2 e-books com foco mais em iniciantes e este é bem o tema do segundo.

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Investidor Internacional,

      Acredito que não tem muito o que mudar disso ai né? Pô legal, depois mande os links deles!

      Abraço!

      Excluir
  5. Eu sou um desses que dormem sem colchão kkk
    Comecei minha carteira com FII e ações na corretora itau .
    Logo pulei pra socopa. penso nos fiis como se fosse uma caixa e os rendimentos a água que vaza pelo ladrão e enche as outras modalidades como tesouro e futuramente ações.
    Eu não faço colchão por vários motivos, tenho múltiplas fontes de renda, uma delas e um comercio que me da dinheiro diariamente , se a coisa apertar diminuo e estoque e o capital de giro.Mais tenho um mini colchão que é uma poupança pra viagens caso eu não consiga conter os gastos inesperados.
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem que Soldado dorme em qualquer lugar, mas por que ignorar um colchão man? kkk

      O legal que você tem um mini-colchão, já ajuda! rs

      Abraço!

      Excluir
    2. Também não faço "colchão" no momento pq a renda ativa é mais que suficiente para cobrir qualquer imprevisto. Quando passar a viver de renda passiva ano que vem aí sim vou precisar de "um desses pra dormir".

      Sr. IF365

      Blog do Sr.IF365 | Acompanhe meus últimos 365 dias antes da IF e Aposentadoria Antecipada
      www.srif365.com

      Excluir
    3. É mais tranquilo mesmo ter um desses pra dormir!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.