quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

BOBR4 - A segunda da lista...


Continuando com a apresentação das empresas contidas em meu estudo, hoje vamos conhecer um pouco sobre a BOBR4.

No post de ontem, apresentei a IDNT3. Empresa melhor classificada segundo a fórmula. E como vimos...  Bom, confira lá!

Vamos ver o que a fórmula mágica nos reservou dessa vez.



Quem é BOBR4?


BOBR4 análise fundamentalista
Fonte imagem: RI - Bombril

Está ai um cara que literalmente abraçou o papel de "garoto-propaganda". Dificilmente ao vê-lo você  não o associa com a Bombril e seus produtos. Não é mesmo?

Caso não conheça, a Bombril é daquelas famosas empresas em que você não usa o nome do produto, e sim o da empresa. Assim como beber Coca-Cola, usar Cotonete, muitos dizem usar Bombril ao invés de esponja de aço. Já vi pessoas referencia-la até para comprar produtos da concorrência. :D

E isso é um tremendo ponto positivo para a empresa. Claro, desde que saiba usá-lo.

Caso queira conhecer mais sobre a BOBR4, visite este link do RI da empresa. Você irá direto para a página com uma linha do tempo contando sua história.

E quanto a seus números?  Vejamos abaixo...



Análise superficial


Dei um pulo no mural do bastter e, o filme se repete...

Os dados não são nada bons...

Discussões?  Hmm, alguém de olho na cotação e só...

Sendo assim, resolvi esmiuçar um pouco a Bombril. Até para utilizar a planilha que o AportadorFinanceiro disponibilizou em seu blog.

Caso não a conheça, veja aqui.

Abaixo, os números que extrai do RI da BOBR4;


Analise fundamentalista BOBR4


Infelizmente, não achei quando vão divulgar o quarto trimestre de 2017. Até para apurar certinho o porquê desta ação estar na fórmula mágica assim como a IDNT3.

Bom, voltando ao quadro, sinceramente nem sei por onde começar.


Lembrando que sou um mero novato em análise de empresas.


Assim, vou destacar itens que sempre destaco. Vamos a eles;


  • Lucro líquido negativo em 2014 e 2015. Em 2016 apareceu um lucro.
  • Patrimônio líquido negativo nos anos auferidos. Xiii...
  • Capital de giro também negativo.


Sem delongas, está ai mais um dos perigos em apenas utilizar uma suposta fórmula mágica para escolher ações.



Não custa lembrar que isso é apenas um estudo inicial, passando longe de ser recomendação de compra/venda!


Veja Também!







See ya!

14 comentários:

  1. II,

    Gostei do seu post, assim como das análises anteriores. Simples e direto.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosana,

      Agradeço as palavras! Amanhã talvez tenha mais :D

      Abraços

      Excluir
  2. Empresa da prejuizo. Nem olho, acabou a analise ai. Hehe

    Abraçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procuro fazer isso também VDC!

      Mas as vezes por curiosidade, acabo perdendo um tempinho para conhecer mais as empresas hehe

      Abração

      Excluir
    2. Eu costumava fazer isso também, até ler Peter Lynch.
      Existe um divisor de águas enquanto eu lia só Benjamin Graham e depois de ler mais autores além dele. Não estou criticando-o, é sério. Mas "existe vida além do prejuízo". Hehehe.

      Quem ignora empresas com prejuízo pode ter perdido a Magazine Luiza em 2015.

      Excluir
    3. Paulo, acho interessante essa abordagem. Mas, a pessoa precisa ser mais experiente para coloca-la em prática.

      Eu perdi dinheiro ao investir na Kepler(kepl3) por apenas ver que a empresa tinha melhorado e pronto. Não perdi muito dinheiro por ter saído antes da bancarrota. Foi mais sorte do que analise rs

      Para quem deseja investir em empresas desse tipo, vejo recomendações como;

      entrar com pouco capital;
      acompanhar atentamente os balanços;
      Ter bem claro uma estratégia de saída.

      Grato pela visita! Valeu!

      Excluir
    4. Obrigado pela referência II, fico feliz em ajudar com a planilha.

      Essa empresa tem patrimônio líquido negativo, não vale nem a pena continuar análise.

      Em relação a empresas com lucro contábil negativo (lucro líquido), há situações que merecem ser observadas como por exemplo: TUPY3 que teve prejuízo mas manteve fluxo de caixa livre positivo e paga dividendos.
      Há outras situações que podem impacta o lucro contábil mas não influencia o caixa, por exemplo: impairment de ativos, amortização, depreciação...

      Grande abraço

      Excluir
    5. Olá aportador, eu que agradeço a ajuda a nós prestado. Sua planilha é excelente!

      E obrigado pela aula! Aos poucos vou aprendendo!

      Abração!

      Excluir
  3. Olá II,

    Essa empresa teve uns lucros positivos em 2017, mas está longe de ficar ser boa.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cowboy,

      Sim, foi por conta desses dados que a BOBR4 entrou na fórmula mágica. Ai você vai procurar saber o passado da empresa e vê o que vê haha

      Abraços

      Excluir
  4. Boa análise, apesar do pesares, sempre é bom conhecer todas as empresas, não necessariamente investir rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, quem sabe não achamos uma ação fora do radar? rs

      Excluir
  5. Um bom critério para eliminar esses "micos" é a empresa ter pelo menos 5 anos seguidos de lucro.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei não hein. Com a kepler segui essa dica e perdi uma grana. Empresas ruins que ficaram supostamente "boas", o cuidado deve ser redobrado.

      O critério de 5 anos é valido. Mas não diminui a necessidade de acompanhar de perto o ex-mico hehe

      Abraço!

      Excluir